segunda-feira, 19 de maio de 2014

Pensamentos De uma Vida Morna.

     

      Eu queria que a minha vida me levasse como uma folha no meio de um vendaval. Sinceramente queria ir para longe, não que na aquela minha árvore do dia a dia não era boa. Mas planejar outros sonhos, ter outras expectativas, por mas que elas me machucassem , me faziam bem. 
Sabia que ia doer. E que nem para isso eu teria que me desprender, teria que cair ficar no chão e esperar o vendaval vim. Iria doer feito choro de criança nos ouvidos mais doces, mas eu achava que iria ser por um futuro diferente.  
       Pois aquela mesmice já me doía fazia tempo. Todos os dias os mesmos ventos iam na minha árvore só me faziam balançar pra lá e pra cá, e o pior depois que passavam me deixavam como estava, parada. 
Acho que isso tudo só acontece por eu ser uma folha de grande sentimentos, mas eu juro, era e ainda sou leve, Sou levada por qualquer um que me faça sentir aquele som, aquele lindo som dos ventos, todos tem o seu,  uns mais bonitos e suaves, outros forte e estranho. 
       Mas tudo que eu queria era um VENDAVAL capais de ser forte o suficiente para me carregar pra longe sem tocar ao chão pelo ar. Flutuando. 
Quando ele chegou o meu vendaval. 
  Eu simplesmente falei :
-  Será que pode levar pra longe ? 

 E ele impressionado pergunta :

-  Porque quer ir embora ? Essa árvore tão linda, de frutos maravilhosos. 

Insistir :
-  Por favor ! Se me fizer sentir refresco. Se me fizer feliz eu já agradeço. 

E  com um sorriso no rosto o vendaval falou :
-  li levarei, mas isso vai fazer você se ressecar !  Eu prometo fazer de tudo para isso não acontecer, mas corremos o risco. Você aceita ? 

- Sim! Eu aguento as consequências ! Eu aguento. 

Pequena folha boba e ingênua que eu era. Aquele vendaval, só me levou, me ressecou e depois partiu com toda as minhas histórias que era dele também. Parecia simpático. Mas só me deixou com buracos. Fortes buracos. Agora eu só quero minhas velha árvore. Mas como, como voltar aquele topo. Como refazer aqueles amigos, como rever aqueles maravilhosos frutos. Como vou sentir outros ventos ?